Dia 12 de Maio de 1725 – É encontrada a primeira referência ao Grau de Mestre Maçom

Dia 12 de Maio de 1725 – É encontrada a primeira referência ao Grau de Mestre Maçom, na Ata deste dia da Philo-Musicae ET Architectura Societas, associação de músicos e arquitetos de Londres.

Em 1724 fundou-se em Londres, uma sociedade formada por mestres de obras e músicos que se reunia na Taverna Cabeça da Rainha. O número de homens que fundaram esta sociedade era pequeno, mas tratava-se de pessoas muito cultas e interessadas em música e arquitetura.

Foi denominada de Philo Musicae et Arquitecturae Societas Apollini. Seus fundadores eram maçons pertencentes a uma loja, a qual tinha como venerável o Duque de Richmond, que foi em seguida eleito Grão-Mestre da Grande Loja de Londres.

Uma das condições para pertencer á esta sociedade era justamente que todos os associados fossem maçons. Esta Sociedade, durante seus trabalhos culturais se transformava em sessão de uma sociedade profana e não uma loja.

Foi enviada uma carta à Grande Loja de Londres com uma relação de sete Irmãos principais fundadores e Oficiais da Societas Apollini. Parece que a Grande Loja ignorou a comunicação, mas a Sociedade recebeu visita do 2º Grande Vigilante da Grande Loja de Londres em 02 de setembro de 1725 e do Primeiro Grande Vigilante em 23 de dezembro de 1725 e ao que se se sabe, os dois foram elevados ao grau de mestre maçom no mesmo ano que a Sociedade encerrou suas atividades no inicio de 1726.

Assim de maneira estranha, porém relatada através das atas existentes, é comprovado o aparecimento dos dois primeiros mestres do mundo. Mas de qualquer forma esta é a prova primaria do aparecimento dos primeiros mestres maçons do mundo. Não se sabe qual foi critério usado para estes dois Irmãos se tornarem mestres.

Há autores que afirmam ter tido o terceiro grau origem na França, mas não comprovam tal afirmação através de documentos.

 sA lenda de Hiran não existia. O primeiro ensaio sobre esta lenda aparece no Manuscrito de Grahan, em 1726, como uma lenda Noaquita em que se menciona a procura do corpo de Noé, pelos seus três filhos Sem, Cam e Jafet, para descobrirem a palavra secreta da aliança de Noé com Deus. Quando Prichard em 1730 publicou os propalados segredos da Maçonaria, já havia uma versão semelhante, com muita analogia, da versão que conhecemos hoje no terceiro grau. Apenas cinco anos após.

(A:FC/R:CRS) Ao retransmitir esta mensagem favor não retirar os créditos Assessoria de Comunicação da www.redecolmeia.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.