MOTIVAÇÃO DOS ROSACRUZES SE REUNIREM NA QUINTA-FEIRA SANTA DE ENDOENÇAS.


A expressão ” endoenças ” emana do latim e significa indulgência, misericórdia, perdão como efeito do arrependimento do pecado.

Na liturgia cristã romana está ligada a Semana Santa, onde se celebra o sacrifício da cruz, figurando Jesus de Nazareno executado neste instrumento de expiação. 

Trata-se de uma reminiscência dessa liturgia cristã quando a cristandade romana distribui indulgência em maior escala nesse período.

NA quinta-Feira santa, dia anterior `a crucificação, Jesus de Nazareno reuniu seus doze apóstolos para a ceia, simbolizando a despedida de sua partida para a Eternidade e seguir sua caminha divina.

É a interpretação teológica bíblica – Novo Testamento.

E é nesse cenário que os rosacruzes costumam realizar a reunião como lembrança dessa efeméride narrada pelo Novo Testamento, para comemorar o fim da etapa da vida material de Jesus de Nazareno. A outra fase é a vida celestial, obviamente, já como espírito, integrante da Santíssima Trindade dentro da Fé doutrinária cristã-romana.

Esta é a versão adotada pelo cristianismo majoritário e também pela Ordem ROSACRUZ.

Todavia, uma corrente doutrinária oferece uma interpretação GNÓSTICA ( gnose= conhecimento para a salvação ( palavra grega ) e aponta, em linhas gerais, que o corpo físico é a prisão do espírito.

E enquanto esse espírito estiver no corpo humano, estará aprisionado. e. nesta situação, não poderá exercitar toda sua tarefa que lhe é própria, do BEM ou do MAL.

A se dar credibilidade ao Evangelho apócrifo de Judas Iscariotes  ( = homem de Keriot ), este NÃO TRAIU Jesus de Nazareno, como a História registra.

Jesus de Nazareno, segundo especialistas, era membro essênio e, essa seita ou crença ligada ao judaísmo, acolhia o GNOSTICISMO.

Partindo dessa premissa, Judas Iscariotes teria recebido a missão espiritual de entregar Jesus de Nazareno, deliberadamente, para o Calvário, com prévia autorização do próprio Jesus de Nazareno, para libertar seu espírito que estava aprisionado em seu corpo físico.

E o espírito livre estaria apto para trabalhar o Bem para toda humanidade em toda sua plenitude.

Sobre o assunto, sérias controvérsias existem , levando o Bispo Irineu de Lyon ( 130/202 – anno domini ), a contestar em nome da Igreja romana essa interpretação gnóstica, através de sua famosa obra clássica, – ” Contra as Herisias “.

Seja como for, constitui um fato histórico, ocorrendo divergência sobre a posição de Judas Iscariotes no episódio da possível traição.

O relato do texto bíblico – Novo testamento -, entretanto,  não deixa dúvida que se tratou mesmo de traição por 30 moedas de prata, ou coisa assim, que Caifás  pagou pela conduta traidora de Judas Iscariotes.

A própria elite judaica e o governo invasor romano tinham interesses comuns, políticos e econômicos, para eliminar Jesus de Nazareno do cenário popular daquela época, já que este se mostrava um perturbador da Ordem Pública, com sua pregação doutrinária contrária aos interesses político e econômicos dos judeus e também dos romanos na região.

Estes enfoques apenas dão um colorido diferente da exposição bíblica, e servem para reflexão ou, simplesmente, recusa em aceitá-los. DEPENDE DE SUA FÉ !!! 

 Autor: José Geraldo de Lucena Soares – M∴ I∴ –  33°

GOB – SP 

(R: FC | R: CRS) Ao retransmitir esta mensagem favor não retirar os créditos Assessoria de Comunicação da www.redecolmeia.com.br

 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.