Lojas Urim e Tumim e Lisboa promovem Sessão de Solstício de Verão.


Dia 14 de dezembro de 2019, sábado às 12:00 horas, as Lojas Maçônicas Urim e Tumim nº 4294 e Lisboa nº 4150, no Templo sito à Av. Dr. Gentil de Moura nº 921, Ipiranga, São Paulo, realizaram Sessão Magna Conjunta em Comemoração ao Solstício de Verão presidida, respectivamente, pelos Irmãos Francisco Pedro Simões e Reinaldo Coelho Medeiros Jr.

Solstícios são os pontos que a órbita elíptica da Terra descreve num ano em torno do Sol quando este está em sua máxima distância ao sul ou ao norte da linha imaginária do Equador. Duas vezes por ano, nos meses de junho e dezembro, acontecem os solstícios, variando o dia e a hora.

No verão, a duração do dia é a mais longa do ano, ocorrendo o contrário no inverno, quando a noite é a mais longa do ano. Os equinócios e solstícios receberam o nome de portas do céu ou das estações do ano. Enquanto passamos pelo solstício de verão, aqui no hemisfério sul, marcando o início dessa estação, os habitantes do hemisfério norte enfrentam a entrada do inverno. O solstício de verão é sempre previsto para o dia 21 ou 22 de dezembro, de acordo com cálculos astronômicos, quando a radiação solar incide verticalmente, o Sol está no seu zênite ou está “a pino”, sobre o Trópico de Capricórnio.

No passado, esses fenômenos astronômicos tinham grande importância para a agricultura e as religiões dedicavam cultos especiais para marcar as transformações que se esperavam.

A Maçonaria especulativa, absorvendo as tradições da Maçonaria operativa, incorporou as comemorações e celebra as festas equinociais e as solsticiais, reconhecendo-as no seu simbolismo. Nos nossos Templos Maçônicos, as Colunas “B” e “J” representam os solstícios de Inverno, ao Norte, e o solstício de verão. É tradição em várias Lojas a realização de Banquete Ritualístico, também conhecido como Loja de Mesa, nos meses de junho, em honra a São João, nosso Padroeiro, tratando-se, portanto, de Festas Solsticiais. Essas celebrações têm um caráter de saudação e de confraternização, evocando os laços que unem os irmãos.

(A: FC | R: CRS) Ao retransmitir esta mensagem favor não retirar os créditos Assessoria de Comunicação da www.redecolmeia.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.