Jantar de comemoração da causa dos Shriners International é uma divisão da Maçonaria.

Dia 06 de junho de 2019, quinta feira, às 21:00 horas, aconteceu o  Jantar de comemoração da causa dos Shriners International,  uma divisão da Maçonaria, no Leques Brasil hotel, no endereço localizado na  rua São Joaquim, 216 – Liberdade, São Paulo – SP, 01508-000, tendo como Presidente do Clube de São Paulo Carlos Roberto de Campos Grão-Mestre de Honra Estadual de São Paulo GOB-SP, Delegado de Policia, os Shriners International é uma fraternidade baseada em diversão, companheirismo e nos princípios maçônicos de amor fraterno, auxílio e verdade. Com cerca de 325.000 membros em 194 templos (divisões) nos Estados Unidos, Canadá, Alemanha, México, Filipinas, Porto Rico e República do Panamá, nossa fraternidade é aberta a homens de integridade de todas as esferas da vida, A Shriners International também apoia os Hospitais Shriners para Crianças®, um sistema de saúde com 22 hospitais pediátricos dedicados a fornecer cuidados médicos, pesquisa de excelência mundial e oportunidades educacionais para os profissionais médicos.

Publicado por Fernando Sobrinho em Quinta-feira, 6 de junho de 2019

Shriners International, antigamente conhecido como Ancient Arabic Order of the Nobles of the Mystic Shrine (A.A.O.N.M.S.) (“Antiga Ordem Árabe dos Nobres do Santuário Místico”), popularmente conhecido como Shriners, é uma organização ligada à Maçonaria. É conhecida por manter hospitais para crianças (Shriners Hospitals for Children). Seus membros usam um fez vermelho.

Publicado por Fernando Sobrinho em Quinta-feira, 6 de junho de 2019

 

História

Em 1870 um grupo de maçons se reunia com frequência para almoçar no Knickerbocker Cottage, na Sexta Avenida, em Nova York. Em uma mesa especial no segundo andar, um grupo de homens especialmente jovial se reunia regularmente. Entre os regulares estavam Walter M. Fleming, M.D. e William J. “Billy” Florence, um ator. O grupo conversava com frequência sobre iniciar uma nova fraternidade de maçons – mais centrada na diversão e na camaradagem, do que no ritual. Fleming e Florence levaram essa ideia a sério o suficiente para fazer algo sobre ela.

Enquanto estava em turnê na França, Billy Florence foi convidado para uma festa oferecida por um diplomata árabe. O estilo exótico, sabores e música da festa de temática árabe inspirou-o a sugerir esse como tema para a nova fraternidade. Walter Fleming, um devotado irmão da fraternidade, baseou-se nas ideias de Fleming e usou seu conhecimento do ritual fraternal para transformar o tema árabe na Antiga Ordem Árabe dos Nobres do Místico Shrine (A.A.O.N.M.S.).

Com a ajuda de outros frequentadores do Cottage Knickerbocker, Fleming elaborou o ritual, desenhou o emblema e as vestes, formulou uma saudação e comunicou que os membros usariam um barrete vermelho.

A primeira reunião do Shriners de Meca – o primeiro templo (divisão), estabelecido nos Estados Unidos, foi realizada em 26 de setembro de 1872.

Bill Florence tinha participado de uma turnê na França e tinha sido convidado para uma festa dada por um diplomata árabe. O estilo exótico, sabores e música da festa de temática árabe o inspiraram a sugerir este como um tema para a nova fraternidade. Walter Fleming, um maçom dedicado, construiu, sobre as ideias de Florence, o ritual, o emblema e os paramentos. Formulou uma saudação e declarou que os membros usariam o fez vermelho.

A primeira reunião do Mecca Temple em New York, o primeiro templo (capítulo), estabelecido nos Estados Unidos, foi realizada em 26 setembro de 1872. Fleming foi o primeiro Soberano (Imperial Potentate).[1]

Membros

Apesar de seu tema, não está ligada ao Islã. É uma fraternidade masculina, ao invés de uma religião ou grupo religioso. Sua única exigência religiosa é indireta: todos os Shriners devem ser maçons, e a Maçonaria prevê que estes devem professar a crença em um Ser Supremo. Para minimizar a confusão com religião, o uso das palavras “templo” e “mesquita” para descrever os edifícios Shriners foi substituído pela expressão “Centro Shriner”, embora capítulos locais individuais ainda possam ser chamados de “Templos”.

Até 2000, antes de ser elegível para a adesão à Ordem, o maçom tinha que completar os graus do Rito Escocês ou do Rito de York da Maçonaria, mas, agora, qualquer Mestre Maçom (3º grau) pode participar desde que preencha uma ficha de adesão, tenha seu nome submetido ao clube ou templo que esteja sendo proposto e seja aprovado pelos demais membros chamados de Nobres Irmãos.

O Shriners conta hoje com mais de 375.000 mestres maçons integrantes, distribuídos em 169 templos, agora chamados de Centers, dos quais 118 destes membros fazem parte do Almas Club de São Paulo, figurando em 53º lugar no ranking da Forbes das 100 maiores instituições de caridade do mundo.[2]

O fez é uma espécie de chapéu que lembra a temática árabe. Serve também como identificação de quem pertença à fraternidade. Muito parecido com o avental usado pelos maçons como um símbolo de sua fraternidade, o fez é usado apenas por Shriners como um símbolo de sua filiação nesta fraternidade original. Hoje, o fez é usado em atividades Shriners, em desfiles e em passeios como uma maneira de divulgar a fraternidade, principalmente nos Estados Unidos.[3]

O Emblema

O emblema na parte frontal do fez, o crescente e cimitarra, é uma parte importante da temática da fraternidade, e é representativa das características incorporadas pela Shriners. A cimitarra representa a espinha dorsal da fraternidade, os seus membros. As duas garras são para a fraternidade Shriners e sua filantropia. A esfinge representa o órgão dirigente do Shriners. A estrela de cinco pontas representa as milhares de crianças ajudadas pela filantropia cada ano. O emblema também carrega a frase latina “Robur et Furor”, que significa “Força e Fúria”.[4]

(A:FC/R:FC)
Ao retransmitir esta mensagem favor não retirar os créditos Assessoria de Comunicação da www.redecolmeia.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate
Share this product!
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.